Como eram os serviços públicos na ditadura militar

Educação

Censura e perseguição: O regime militar impôs censura e perseguição à educação e à cultura, controlando o conteúdo dos livros didáticos e perseguindo professores e alunos que se manifestassem contra o regime.
Repressão à liberdade acadêmica: Professores e alunos eram reprimidos por suas opiniões políticas, e muitos foram demitidos, presos ou torturados.
Fechamento de escolas: Houve o fechamento de muitas escolas e universidades, o que limitou o acesso à educação.
Baixa qualidade do ensino: A qualidade do ensino era baixa, devido à falta de investimentos e à repressão à liberdade acadêmica.
Desvalorização dos profissionais da educação: Os professores eram mal pagos e desvalorizados, o que contribuiu para o declínio da qualidade do ensino.

Saúde

Precariedade dos serviços de saúde: Os serviços de saúde eram precários, com falta de médicos, hospitais e medicamentos.
Atendimento precário: O atendimento à população era precário, com filas longas e falta de acesso a medicamentos e exames.
Negligência com a saúde pública: O governo negligenciava a saúde pública, investindo pouco em programas de prevenção e tratamento.
Epidemias: Houve epidemias de doenças como a tuberculose, a varíola e a febre amarela, devido à falta de saneamento básico e à precariedade dos serviços de saúde.
Mortalidade infantil elevada: A mortalidade infantil era elevada, devido à falta de acesso aos serviços de saúde e à desnutrição.

Saneamento básico

Precariedade da infraestrutura: A infraestrutura de saneamento básico era precária, com falta de água potável, esgoto tratado e coleta de lixo.
Poluição dos rios e córregos: Os rios e córregos estavam poluídos, devido ao lançamento de esgoto e lixo não tratado.
Doenças de veiculação hídrica: Houve muitas doenças de veiculação hídrica, como a hepatite A, a diarreia e a cólera, devido à falta de água potável e de saneamento básico.
Condições insalubres: As condições insalubres contribuíram para o aumento da mortalidade infantil e das doenças de veiculação hídrica.
Falta de investimentos: O governo não investiu em saneamento básico, o que contribuiu para a precariedade da infraestrutura e para o aumento das doenças de veiculação hídrica.

Transporte público

Precariedade dos serviços: Os serviços de transporte público eram precários, com ônibus e trens sucateados e lotados.
Falta de investimento: O governo não investiu em transporte público, o que contribuiu para a precariedade dos serviços.
Congestionamentos: Os congestionamentos eram frequentes, devido à falta de investimento em infraestrutura e à precariedade dos serviços de transporte público.
Poluição do ar: A poluição do ar era elevada, devido aos veículos mal conservados e à falta de fiscalização.
Acidentes: Os acidentes de trânsito eram frequentes, devido à precariedade dos serviços de transporte público e à falta de fiscalização.

Habitação

Déficit habitacional: Havia um grande déficit habitacional, com muitas pessoas morando em favelas e cortiços.
Falta de investimentos: O governo não investiu em habitação popular, o que contribuiu para o aumento do déficit habitacional.
Condições precárias: As condições das moradias eram precárias, com falta de saneamento básico, água potável e energia elétrica.
Doenças: As condições precárias das moradias contribuíam para o aumento das doenças de veiculação hídrica e das doenças respiratórias.
Criminalidade: O déficit habitacional e as condições precárias das moradias contribuíam para o aumento da criminalidade.

Cadastre-se para Notícias Exclusivas!

Está gostando do nosso conteúdo? Cadastre-se gratuitamente e receba em primeira mão as últimas notícias sobre Concursos Públicos.

Cadastrar Leads

Segurança pública

Repressão política: A repressão política era forte, com a polícia perseguindo e prendendo opositores do regime.
Tortura: A tortura era amplamente utilizada para obter informações e intimidar opositores do regime.
Desaparecimentos: Houve muitos casos de desaparecimento de pessoas, muitas das quais foram torturadas e mortas.
Censura à imprensa: A imprensa era censurada, e os jornais e revistas eram obrigados a seguir as diretrizes do governo.
Controle sobre a população: O governo exercia um controle sobre a população, por meio da censura à imprensa, da repressão política e da tortura.

Economia

Crescimento econômico: A economia brasileira cresceu durante a ditadura militar, mas esse crescimento não foi distribuído de forma equitativa.
Concentração de renda: A renda era concentrada nas mãos de uma pequena elite, enquanto a maioria da população vivia na pobreza.
Inflação elevada: A inflação era elevada, o que corroía o poder de compra das pessoas.
Dívida externa: A dívida externa aumentou significativamente, o que tornou o Brasil dependente dos credores internacionais.
Desenvolvimento desigual: O desenvolvimento econômico era desigual, com algumas regiões do país crescendo mais do que outras.

Política

Autoritarismo: O regime militar era autoritário, com o poder concentrado nas mãos de um pequeno grupo de militares.
Supressão dos direitos políticos: Os direitos políticos foram suprimidos, e o voto direto foi abolido.
Censura: A censura era amplamente utilizada para controlar a imprensa e a cultura.
Repressão política: A repressão política era forte, com a polícia perseguindo e prendendo opositores do regime.
Tortura: A tortura era amplamente utilizada para obter informações e intimidar opositores do regime.

Cultura

Censura: A censura era amplamente utilizada para controlar a produção cultural, e muitos livros, filmes e peças de teatro foram proibidos.
Perseguição a artistas: Artistas que se manifestavam contra o regime eram perseguidos e presos.
Exílio de artistas: Muitos artistas foram obrigados a se exilar no exterior, para escapar da perseguição do regime.
Desaparecimento de artistas: Houve muitos casos de desaparecimento de artistas, muitos dos quais foram torturados e mortos.
Controle sobre a cultura: O governo exercia um controle sobre a cultura, por meio da censura, da perseguição a artistas e do exílio.

Meio ambiente

Destruição da Amazônia: A Amazônia foi desmatada em grande escala, para a construção de rodovias e para a exploração de recursos naturais.
Poluição ambiental: A poluição ambiental era elevada, devido à falta de regulamentação e à fiscalização.
Desastres ambientais: Houve vários desastres ambientais, como o rompimento de barragens e o vazamento de produtos químicos.
Falta de políticas ambientais: O governo não tinha políticas ambientais, o que contribuiu para a destruição da Amazônia e para a poluição ambiental.
Degradação ambiental: A degradação ambiental era significativa, devido à destruição da Amazônia, à poluição ambiental e à falta de políticas ambientais.

Compartilhe!

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *